A CIÊNCIA ASSOCIA ANSIEDADE SOCIAL COM NÍVEIS ALTOS DE QI E HABILIDADE DE EMPATIA

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Ansiedade social está relacionada à consciência psicossocial e capacidade de empatia

Você sabia que a ansiedade é o transtorno mental mais comum nos Estados Unidos? De fato, 40 milhões de adultos (ou 18% da população) sofrem deste distúrbio. A ansiedade social ocupa um lugar especial na lista, afetando 15 milhões de pessoas ou 6,8% da população.

Se nos aprofundarmos às causas deste fenômeno, não é uma surpresa que tantas pessoas hoje em dia tenham medo de situações sociais ao ponto de isso se tornar um transtorno mental. Em nossa sociedade cheia de preconceitos, o que pode tornar difícil às vezes ser socialmente aceito, especialmente se você é de alguma forma diferente dos outros. Assim, a doença evolui do medo de ser julgado ou constrangido por outros e, em certos casos, pode até levar a condições extremas, como paranoia ou esquizofrenia.

No entanto, apesar do fato de que a ansiedade social pode ser dura e tornar a vida diária difícil, ela também tem alguns benefícios inesperados. De acordo com estudos recentes, aqueles que sofrem deste transtorno mental parecem ter níveis altos de QI e habilidades empáticas aprimoradas.

Um estudo da Universidade de Lakehead, cujo objetivo era avaliar a capacidade verbal-linguística mostrou que os participantes com o transtorno de ansiedade geral teve uma maior pontuação em testes de inteligência verbal do que aqueles que não relataram sofrer de ansiedade.

Outro estudo do Centro Médico SUNY Downstate em Nova York concluiu que pessoas que sofriam de ansiedade grave tinham níveis de QI mais elevados do que aqueles que não possuíam tal diagnóstico.

Além disso, pesquisadores da Universidade de Haifa do Departamento de Psicologia, Haifa, Israel, estudaram as tendências de empatia das pessoas com ansiedade social e encontraram “mentalização elevada e habilidades de empatia”. Isto significa que aqueles que sofreram com esta doença tinha a consciência psicossocial mais elevada e, assim, mostrou “sensibilidade e percepção aos estados da mente de outras pessoas.”

Em outras palavras, as pessoas socialmente ansiosas podem ser tão sensíveis às emoções de outras pessoas que elas acham que é realmente difícil ser envolvido em interações sociais, que são muito devastadoras para elas.

Para altos níveis de inteligência, existe uma boa explicação. Basicamente, as pessoas socialmente ansiosas têm uma maior consciência sobre o meio ambiente e as pessoas, porque elas estão constantemente analisando e refletindo sobre o que está acontecendo ao seu redor, o que surge de seu medo de serem julgados e rejeitados por outros. Como eles veem perigos que realmente não existem, eles processam informações e estímulos de uma maneira diferente e são capazes de perceber as coisas que outras pessoas não estão conscientes. Estes processos cognitivos contínuos resultam em um fato – sua mente nunca descansa – o que certamente exige (e leva a) elevados níveis de inteligência.

De forma semelhante a “a ignorância é felicidade”, pode-se dizer que a consciência é uma tortura. Com efeito, sendo sensível e consciente de tudo e todos pode ser avassalador, e a mente procurando proteger-se a partir desta experiência intensa, cria este tipo de transtorno mental.

Mas se você olhar para ele a partir de uma perspectiva diferente, a ansiedade social pode realmente ser um presente. Estar ciente também significa ser altamente intuitivo e capaz de prever situações e comportamentos antes que eles ocorram, o que certamente é uma vantagem. Então, se você sofre de ansiedade social, considere pensar nisso como um dom e um talento especial, em vez de um transtorno mental.

Trad.: Tais Queiroz

(Via)

Foto: pixabay

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *