COMO O ÁLCOOL AFETA SEU CÉREBRO

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Como o álcool muda seu cérebro

Por Dr. Mercola

cheers-839865_1920

Muitos sabem que estudos têm sugerido que o álcool com moderação pode promover a saúde do coração, e até mesmo afastar o diabetes e a demência. Mas poucas pessoas sabem que nenhum estudo jamais provou uma relação causal entre o consumo moderado de álcool e um menor risco de morte, mas apenas que os dois muitas vezes andam juntos.

Em outras palavras, é bem provável que o consumo moderado seja apenas algo que as pessoas saudáveis ​​tendem a fazer, não algo que torna as pessoas saudáveis.

Dr. Tim Naimi, epidemiologista dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, diz que: “O ponto negativo é que não houve um único estudo feito sobre o consumo moderado de álcool e resultados de mortalidade que é um tipo de estudo “padrão ouro” – o tipo de ensaio clínico randomizado controlado que seríamos obrigados a ter, a fim de aprovar um novo agente farmacêutico”.

O álcool tem sido vinculado ao câncer de mama, podem levar a acidentes mesmo quando consumido em pequenas quantidades, e está relacionado com doenças do fígado, câncer, danos cardíacos e derrames (AVE) quando consumidos em quantidades maiores.

Alguns dos estudos mais pobres que temos são observações epidemiológicas, e que é precisamente o tipo de ciência que tem sido usada para apoiar a ideia de que beber vinho com moderação é saudável para você.

Além disso, para examinar os efeitos do álcool sobre o cérebro, cientistas examinaram oito homens e sete mulheres que bebiam álcool através de uma palha enquanto estava deitados em um scanner de ressonância magnética.

Apenas 6 minutos depois de consumir uma quantidade de álcool equivalente a três cervejas, as mudanças já tinham tido lugar em suas células cerebrais, como reportado no Live Science. Seus cérebros começaram a fluir no açúcar do álcool, em vez da glicose, a comida normal do cérebro.

A concentração de substâncias tais como a creatina, que protegem as células do cérebro, também diminuiu com o aumento da concentração de álcool. A colina, um componente das membranas celulares, também foi reduzida. Isto provavelmente significa que o álcool provoca mudanças na composição das membranas celulares.

Tenho certeza que você já ouviu falar que o álcool pode ser benéfico quando consumido em pequenas quantidades a moderada (cerca de 1-3 copos padrão de álcool por dia), mas há milhares de estudos sobre o consumo de álcool e seus efeitos sobre sua saúde, e os pesquisadores ainda não podem provar que o consumo moderado leva a uma vida mais longa e saudável.

O que eles descobriram, no entanto, foi uma abundância de evidências mostrando danos estruturais em seu cérebro, bem como outros efeitos nocivos, mesmo quando consumido em pequenas quantidades.

Eu acho que é muito mais revelador do que qualquer outra coisa. É difícil imaginar qualquer benefício de saúde significativo que poderia superar sua influência destrutiva em seu cérebro.

Embora algumas pesquisas apontem para a possibilidade de que o consumo moderado de álcool possa realmente reduzir o risco de demência, numerosos estudos indicam claramente que o consumo de álcool provoca muitas complicações neurológicas diretamente negativas ao invés de dizerem que tem algum benefício real.

Como o álcool danifica seu cérebro

alcohol-428392_1920No estudo mencionado acima, os pesquisadores descobriram que as concentrações de creatina e colina no seu cérebro diminuíram quando a concentração de álcool aumenta. A creatina é envolvida no metabolismo energético e protege as células do cérebro, e colina é um componente das membranas celulares.

O Pesquisador Armin Biller disse:

“Isto indica provavelmente que o álcool provoca mudanças na composição das membranas celulares. Nossas avaliações no dia seguinte mostraram que as mudanças nos metabólitos cerebrais após o consumo moderado de álcool por pessoas saudáveis ​​são completamente reversíveis. No entanto, nós concluímos que a capacidade do cérebro de se recuperar do efeito do álcool diminui, ou é eliminado, quando o consumo de álcool aumenta. Os efeitos agudos demonstrados em nosso estudo poderiam formar a base para os danos permanentes ao cérebro, conhecido por ocorrer em alcoólatras”.

Outro estudo recente publicado na edição de Abril da Human Psychopharmacology aborda os efeitos crônicos do baixo a moderado consumo de álcool sobre as propriedades estruturais e funcionais de seu cérebro.

Usando a indução de ressonância (MRI) estudos magnéticos, eles encontraram um efeito negativo linear do consumo de álcool em volume cerebral. Eles concluíram que o encolhimento do cérebro relatado como resultado de baixo a moderado consumo de álcool oferece mais suporte para a afirmação de que o álcool é, em geral, mais prejudicial do que benéfico para a saúde do cérebro e cognição.

No entanto, outro estudo publicado na edição de Março / Abril da Alcohol & Alcoholism soma à ocorrência mais recente de estudos que associam o consumo regular de álcool, com várias formas de dano cerebral. Nesse estudo, os pesquisadores concluíram que:

“Bebedores sociais mesmo pesados ​​que não têm problemas neurológicos ou hepáticos específicos mostram sinais de dano cerebral regional e disfunção cognitiva. As alterações são mais graves e outras regiões do cérebro são danificadas em pacientes que têm deficiência de tiamina (vitamina B1) adicional “síndrome de Wernicke-Korsakoff”.

Outros perigos à saúde por consumo de álcool

Minha posição é que nunca é uma boa ideia beber álcool.

Afinal de contas, o álcool é uma neurotoxina – pode envenenar seu cérebro. Mesmo quantidades moderadas de álcool não são recomendadas, porque o álcool também pode:

  • Torná-lo mais vulnerável a vários tipos de câncer evitáveis.
  • Prejudicar o equilíbrio hormonal delicado do seu corpo.
  • Causar danos ao fígado.
  • Desnecessário será dizer que o álcool deve ser totalmente evitado durante a gravidez, pois pode causar graves danos ao feto.

Além disso, o consumo de álcool, também foi demonstrado diminuir a sua capacidade de resposta do hipotálamo à sinais não-imunes e outros imunes. Uma resposta ao estresse físico prejudicado é aceito que pode afetar vários sistemas do corpo, incluindo a capacidade do seu sistema imunológico de combater infecções e, mais uma vez, pode prejudicar a capacidade das células do cérebro de aprender e lembrar.

E o que dizer sobre o vinho tinto?

wine-890370_1920O vinho tinto é frequentemente citado como sendo uma boa fonte de resveratrol, um antioxidante potente que tem sido demonstrado aumentar a vida útil de uma maneira semelhante a restrição calórica. Mas o que é frequentemente esquecido é o fato de que há muitas outras fontes, muito mais seguras de resveratrol.

Por exemplo, em vez de vinho tinto, você pode usar um suplemento de semente de uva, como o Purple Defense. Porque apesar do resveratrol ser encontrado em uvas, é provável que existam outros micronutrientes acessórios e traçando elementos que aumentam os benefícios do resveratrol, assim adotar por completo alimentos não processados (menos o carboidrato levado na polpa doce) vai lhe dar maior benefício. Resveratrol também é encontrado em framboesas, amoras e amendoins.

Outras fontes potentes de antioxidantes incluem bagaço de uva, blueberries, e chá verde.

O vinho tinto definitivamente NÃO é sua melhor fonte de antioxidantes, como alguns estudos sugerem. Há grandes benefícios em consumir os bioflavonóides que estão presentes em sementes de uva e casca da uva, mas NÃO no álcool causado pela fermentação do açúcar da polpa da uva.

Consumir grandes quantidades de vinho também irá aumentar seus níveis de insulina, o que acabará por ter um impacto negativo na sua saúde.

Como impulsionar realmente a saúde do seu cérebro

O consumo de álcool para reduzir seu risco de doença cardíaca ou demência não é claramente a melhor opção.

Doenças do coração, por exemplo, são realmente bastante fáceis de evitar através da implementação de mudanças de estilo de vida simples, que eu discuti longamente em artigos anteriores.

E também para a luta contra o declínio cognitivo relacionado com a idade, há muito mais saudável, mais segura e comprovadas maneiras de ficar mentalmente afiado na velhice.

Aqui estão algumas das minhas estratégias mais eficazes:

Tente o Purple Defense, um suplemento totalmente natural feito a partir de sementes muscadine. A natureza é a fonte número um para o resveratrol, que pode atravessar a sua barreira hemato-encefálica para ajudar a proteger as células do cérebro.

Fonte e Referências:

New York Times June 15, 2009

Live Science June 15, 2009

Journal of Cerebral Blood Flow and Metabolism May 2009; 29(5):891-902

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *