Cogumelos mágicos criam um cérebro Hiperconectado

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Cogumelos mágicos criam um cérebro hiperconectado

cogumelos mágicos
Cogumelos da espécie Panaeolus cyanescens

Os cogumelos mágicos podem dar aos usuários viagens por criar um cérebro hiperconectado. O ingrediente ativo na substância psicodélica, a psilocibina, parece romper completamente com as redes normais de comunicação no cérebro, conectando regiões do cérebro que normalmente não atuam juntas, disse o co-autor Paul Expert, um físico da King’s College London.

A pesquisa, que foi publicada dia 28 de outubro/2014 no Journal of the Royal Society Interface, é parte de um esforço mais amplo para entender como drogas psicodélicas funcionam, na esperança de que elas possam um dia ser usadas por psiquiatras – em cuidadosas e controladas situações – para tratar doenças como a depressão, Expert disse.

Os cogumelos mágicos

cogumelo mágico
Exemplar de cogumelo Psilocybe cubensis

A psilocibina, ingrediente ativo dos cogumelos mágicos, é mais conhecida por acionar alucinações vívidas. Ela pode fazer cores parecerem mais intensas e “dissolver” fronteiras entre objetos.

Mas a substância também parece ter efeitos mais duradouros. Muitas pessoas relatam experiências intensamente espirituais ao tomar a droga, e alguns estudos sugerem mesmo que uma viagem transcendental pode alterar a personalidade das pessoas em longo prazo, tornando os indivíduos mais abertos a novas experiências e mais capazes de apreciar a arte, curiosidade e emoção.

As pessoas que fizeram o experimento com a psilocibina “relataram-no como uma das experiências mais profundas que tiveram em suas vidas, mesmo comparando-a com o nascimento de seus filhos”, Paul Expert disse à Live Science.

Estabelecendo conexões

Os cientistas sabem há muito tempo que a psilocibina se liga a um receptor da serotonina no cérebro, uma substância química cerebral que desempenha papel no humor, apetite e sono, mas exatamente como a substância modelo transforma a totalidade da comunicação do cérebro não é clara.

Em trabalhos anteriores, colegas de Expert descobriram que a psilocibina induziu o cérebro a mais um estado onírico ( de sonho) e que a droga diminuiu a atividade cerebral.

No estudo citado, a equipe utilizou ressonância magnética funcional (fMRI) para digitalizar a atividade cerebral de 15 voluntários saudáveis ​​- uma vez depois de terem tomado um placebo, e uma vez depois que eles tomaram o alucinógeno psilocibina. (A equipe escolheu apenas as pessoas que relataram experiências positivas no passado com cogumelos mágicos para evita-los de entrar em pânico ou claustrofobia no interior dos aparelhos de ressonância magnética.)

A equipe então comparou a atividade cerebral das pessoas com e sem a substância, e criou um mapa de conexões entre diferentes regiões cerebrais.

A Psilocibina transformou dramaticamente a organização do cérebro dos participantes, disse Expert. Com a substância, as regiões do cérebro normalmente não ligadas mostraram que a atividade cerebral foi firmemente sincronizada no momento. Que sugeriu que a droga estimulou as conexões de longo alcance que o cérebro normalmente não faria. Após o efeito da substância passar, a atividade do cérebro voltou ao normal.

Efeito da substância

Cogumelos mágicos
Cogumelos que contêm psilocibina

A Psilocibina pode criar um estado cerebral semelhante à sinestesia, um efeito sensorial em que um estímulo sentido (como por ex. um número) sempre se liga no cérebro com outro sentido (tal como uma cor ou um som), escreveram os pesquisadores no artigo. As pessoas com sinestesia podem ver certas cores quando ouvem música, ou sempre ver o número 3 em amarelo, por exemplo, disse P. Expert.

As descobertas podem ajudar os cientistas que estão estudando a substância como um potencial tratamento para a depressão, completa Expert. Um trabalho anterior descobriu que as pessoas tendem a ser mais felizes, mesmo após o uso de psilocibina apenas uma vez na vida, mas os cientistas veem como necessário obter uma imagem muito melhor de como os impactos da substância no cérebro funcionam antes de usar a psilocibina para tratar a depressão, disse o especialista.

A pesquisa também poderia finalmente ajudar a responder questões maiores da mente, como a forma como as pessoas constroem um sentido de si próprias.

“Por meio de estudos como estes, podemos realmente começar a abordar as questões de como conseguir experiências coerentes sobre nós mesmos e o mundo ao nosso redor, e entender o que faz com que isso se desmorone”, disse Mitul Mehta, pesquisador de psicofarmacologia do King`s College London, que não esteve envolvido no estudo.

Gostou do texto? Então ajude a divulgar a mensagem, curta e compartilhe! Esteja a semear novas ideias, novos ideais!

Paz, Luz e Amor

Crédito das fotos: @Brotando Consciência

(VIa)

Interessado em adquirir cogumelos no Brasil? A CoguFarm produz cogumelos da melhor qualidade e disponibilizam para a venda em sua e-shop:

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *