Pesquisa mostrou que ayahuasca melhorou capacidades semelhantes às da prática Mindfulness

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Pesquisa: A ingestão de Ayahuasca melhorou capacidades semelhantes à Meditação Mindfulness

ayahuasca
Imagem: aya-awakenings.com

Presença. Imparcialidade e não julgamento, observação de pensamentos e emoções. Viver no momento em plena consciência. Estas são algumas das qualidades fundamentais subjacentes à prática da atenção plena (Mindfulness).

A prática da atenção plena tem suas origens históricas na tradição budista, particularmente Vipassana ou meditação de insight, o que foi ensinado pelo próprio Buda há 2500 anos. Desde então vem se popularizando no Ocidente como um veículo secular para maior redução de bem-estar e estresse, mais notavelmente por Jon Kabat-Zinn, que fundou o programa Mindfulness-Based Stress Reduction na Universidade de Massachusetts em 1979.

A meditação mindfulness continua a ganhar força como uma modalidade de tratamento e modo de ser, como evidenciado pelos milhares de estudos científicos publicados disponíveis. Intervenções Mindfulness demonstraram com sucesso tratar uma variedade de desordens clínicas, tais como a ansiedade, a depressão, abuso de drogas, desordens alimentares, e dor crônica. Em participantes saudáveis, a meditação mindfulness produziu efeitos positivos no bem-estar psicológico e melhora do funcionamento cognitivo.

Da mesma forma, o potencial terapêutico da ayahuasca está ganhando destaque entre os pesquisadores biomédicos e o público em geral por seus efeitos benéficos no tratamento de abuso de substâncias, depressão resistente a tratamento, e como um método para o crescimento espiritual, cura e desenvolvimento. Apesar de sua popularidade crescente, pouco se sabe sobre os mecanismos psicológicos subjacentes aos efeitos benéficos da ayahuasca.

ayahuasca daime
Imagem: aya-awakenings.com

Por Dale Richardson, Ph.D.

Uma nova pesquisa da Universidade Autônoma de Barcelona – liderada por Jordi Riba, que anteriormente publicou um estudo sobre o uso a longo prazo da ayahuasca – postula que as a experiência da ayahuasca tem vários pontos em comum com a prática mindfulness no contexto da psicologia ocidental contemporânea. Os autores observam que, embora a consciência plena seja um “construto complexo que é difícil de definir,” para efeitos do seu estudo, “estar atento” implica uma certa consciência particular, isto é, “presente-centrado, não reativo, caracterizado pela abertura, aceitação, e por uma postura de não-julgamento para com a experiência. “

Juntamente com atenção plena, os pesquisadores também consideraram algo conhecido como “descentramento”, que é caracterizada pela capacidade de ter uma visão independente dos pensamentos e emoções como eventos temporários da mente. Uma característica fundamental da experiência da ayahuasca é a promoção de uma visão distanciada de seus próprios pensamentos e emoções. Da mesma forma, “o aumento desta capacidade é o objetivo das intervenções mindfulness.” Outros paralelos entre mindfulness e ayahuasca são evidentes em outras áreas, incluindo uma maior sensibilização, mudanças na auto perspectiva, diminuição da desesperança, e impacto positivo de bem-estar geral.

Com base nessas semelhanças, os investigadores com o objetivo de aprofundar a sua compreensão da experiência psicológica provocada pela ayahuasca vão explorar se capacidades melhoradas relacionadas com o mindfulness podem ser reforçadas com a ingestão de uma dose única de ayahuasca.

Vinte e cinco indivíduos foram recrutados para o estudo, 14 mulheres e 11 homens, todos dos quais tinham experiência anterior com ayahuasca, que haviam tomado, em média, 79 vezes, com exceção de dois indivíduos que tomaram pela primeira vez neste estudo. Os participantes só foram incluídos no estudo se não tivessem quaisquer transtornos, abuso de álcool ou substâncias psiquiátricas e nenhuma evidência de uma doença em curso de importância clínica. Todos os participantes se abstiveram de ayahuasca por 15 dias antes do estudo e não consumiram álcool, medicamentos ou quaisquer outros remédios durante 24 horas, antes e após a sessão de ayahuasca.

cipó jagube mariri
Imagem: Tais Queiroz

Para avaliar os efeitos da ingestão de ayahuasca sobre aspectos da atenção plena e descentralização, os 25 participantes receberam dois questionários para completar 24 horas antes e 24 horas após a ingestão de ayahuasca. Estes questionários incluíram afirmações como: “Quando eu tomo uma ducha ou banho de banheira, eu fico atento para a sensação da água no meu corpo”, ou, “Eu posso me separar de meus pensamentos e sentimentos.” Os pesquisadores compararam as respostas que os participantes deram 24 horas antes e 24 horas após a ingestão de ayahuasca e encontraram aumentos significativos em duas facetas do questionário mindfulness usado para medir a aceitação, “não julgamento” e “não reação“.

Esses dois fatores correspondem a não julgar a própria experiência interior, pensamentos ou emoções e não reagindo à experiência interior, deixando pensamentos e sentimentos surgirem e desaparecerem sem se envolver neles. Houve também um aumento significativo da descentralização, ou – “da capacidade de ter uma visão própria de seus pensamentos e emoções”. Estes resultados destacam o rápido aumento de qualidades relacionadas com o mindfulness após a ingestão de ayahuasca e, de acordo com os autores, “fornecem um mecanismo explicativo que pode contribuir para os efeitos benéficos relatados com ayahuasca no tratamento de vício e depressão.”

Os pesquisadores também descobriram que escores em alguns aspectos de capacidades mindfulness foram semelhantes ou melhores do que escores obtidos em outro estudo que comparou um grande grupo de meditadores mindfulness e não-praticantes de meditação usando os mesmos questionários. Assim, as melhorias na capacidade de plena atenção não estão limitados a práticas de meditação mindfulness, mas também podem ser conseguidas pela ingestão de ayahuasca.

Embora estes resultados sejam promissores e sugiram os benefícios terapêuticos e potenciais da ayahuasca devido a aumentos de capacidades relacionadas com o mindfulness, os autores advertem que seus resultados devem ser considerados preliminares. Uma das principais limitações do estudo é o pequeno tamanho da amostra (apenas 25 indivíduos) e da exposição prévia a ayahuasca de 23 desses indivíduos. No entanto, os autores observam que, apesar desta exposição anterior, “o fato de que uma única dose de ayahuasca aumente capacidades de atenção plena em usuários experientes que já estavam mais atentos do que a população em geral […], ressalta o poder da ayahuasca para aprimorar essas habilidades, mesmo quando o nível de base é elevado”.

Serão necessários estudos futuros, a fim de validar esses achados e resolver algumas das limitações do presente estudo. Apesar dessas limitações, a investigação contínua sobre o potencial terapêutico da ayahuasca irá percorrer um longo caminho para solidificar sua aceitação mundial como uma modalidade de tratamento válido e incrível ferramenta para o crescimento pessoal, semelhante a mindfulness.[Via]

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *