COMO UMA PRÁTICA ESPIRITUAL DÁ SUPORTE À AYAHUASCA NA CURA PESSOAL

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Como uma prática espiritual dá suporte à Ayahuasca na cura pessoal

ayahuasca
Via: Ammit Jack | shutterstock

Por Dale Richardson, Ph.D.

A Ayahuasca é uma bebida visionária sagrada que tem sido usada há séculos na cura, em cerimônias de várias culturas indígenas na bacia do Amazonas. A bebida é uma decocção de duas plantas principais, a própria videira ayahuasca, cientificamente conhecida como Banisteriopsis caapi, e os indutores de visões, DMT contido nas folhas da planta Chacrona, também denominada Psychotria viridis. As duas plantas trabalham juntas em uma sinergia incrível: compostos químicos do B. caapi, as beta-carbolinas, inibem a enzima monoamina oxidase em nossos corpos, que caso contrário, impediria a Dimetiltriptamina encontrada na Chacrona, de ser ativa por via oral. Entre os milhares de milhões de combinações possíveis de plantas na floresta amazônica, o casamento fatídico destas duas plantas produz uma das mais poderosas substâncias psicoativas da Terra. As circunstâncias dessa descoberta incrível permanecem envoltas em mistério.

Banisteriopsis caapi
A jornada não termina após sua primeira experiência com ayahuasca, mas está apenas começando. Via: Dr. Morley Read | Shutterstock.

 

Uma jornada incrível, potencialmente uma mudança de vida começa quando se decide trabalhar com ayahuasca. Como o curandeiro com quem eu trabalho diz, muitas vezes, a viagem não termina após a sua primeira experiência com a ayahuasca, mas sim apenas começa. Os insights sobre si mesmo e a natureza dessa vida misteriosa vivemos adquirindo a partir de até mesmo uma única experiência com ayahuasca, que pode ser totalmente transformadora. Estruturas de crenças psicológicas que estão subjacentes à padrões de comportamento prejudiciais, podem ruir à luz da consciência superior engendrada pela ayahuasca. Este medicamento sagrado pode trazer um contato direto com seu ser superior, ou o espírito, o que, consequentemente, facilita a cura profunda frequentemente encontrada por usuários de ayahuasca. É como se o medicamento permitisse um estado mental habitual de unidade e tendências a ser elevado temporariamente a um estado mais profundo que não estão normalmente acessíveis no nosso dia-a-dia e assim pode ser acessado.

Estudos neurobiológicos com usuários de ayahuasca a longo prazo apoiam esta noção, que distintas áreas do cérebro envolvidas em alto nível que constroem de tal maneira o ego ou self, são conhecidas por mudar fisicamente com o uso prolongado de ayahuasca. Além disso, outras investigações demonstraram que a ayahuasca “hiper ativa toda a região do cérebro onde armazenamos e processamos a memória emocional, muitas vezes revelando memórias há muito esquecidas.” Esta hiper ativação substitui anteriormente padrões emocionais profundos, permitindo assim a criação de novas conexões neurais.

Nos últimos 30 anos, a ayahuasca ganhou notoriedade mundial e ampliou seu alcance para ganhar os corações de milhares de estrangeiros que fazem o seu caminho para a Amazônia para participar de cerimônias de cura. Estes peregrinos da ayahuasca viajam por todo o mundo por motivos tais como a cura de traumas, dependência de drogas, ansiedade, depressão e até mesmo o câncer. Outros simplesmente procuram aprofundar a sua ligação espiritual consigo e com algo maior. Estudos científicos têm respeitosamente se elevado junto com o aumento do interesse na ayahuasca. Há agora um total de 145 estudos na PudMed que aparecem em numa busca para o termo “ayahuasca” – 140 dos quais foram publicados desde 2001.

Este par de estudos (aqui e aqui) mostraram que uma dose única de ayahuasca foi suficiente para interromper episódios de depressão maior em doentes que sofriam de depressão resistente ao tratamento e que esses efeitos foram mantidos durante pelo menos 21 dias. No entanto, devido a limitações na forma como estes estudos foram realizados, não foi possível concluir inequivocamente que a ayahuasca era totalmente responsável pelos efeitos antidepressivos observados nos pacientes. Além disso, e mais importante, os pacientes só foram seguidos por três semanas após a sua experiência com ayahuasca. Assim, os verdadeiros efeitos antidepressivos de longa duração e persistentes observados nestes pacientes, todos dos quais sofriam de episódios recorrentes de depressão maior, continuam a ser compreendidos.

Apesar do crescente corpo de evidências que apoiam a ayahuasca e seu potencial tratamento para depressão maior, o cuidado é devidamente justificado: a esperança absoluta na ayahuasca sozinha como uma cura para a depressão pode deixar alguém um tanto deprimido e decepcionado. Há vários relatos encontrados em redes sociais ou sites que atestam esta realidade: várias pessoas que sofrem de depressão que tomaram ayahuasca, mesmo um punhado de vezes, não encontram alívio sustentável da sua depressão.

Assim, é inegável que algo mais é necessário neste processo de cura em vez da dependência singular deste medicamento sagrado. Proponho que esse “algo mais” seja uma prática espiritual dedicada, criticamente importante no apoio a unidade na vida diária, entre ou até mesmo independentemente das sessões de ayahuasca. A Ayahuasca pode nos mostrar o caminho, mas cabe a nós caminhar o caminho e materializar as ideias recebidas fora da cerimônia. A prática espiritual pode fornecer o contexto e o fundo de apoio necessário para a própria integração total da experiência cerimonial, e como um espelho, também pode refletir e informar-se para experiências cerimoniais futuras.

Jack Kornfield ayahuasca
Foto: Jack Kornfield. Via: JackKornfield.com.

Jack Kornfield, notável autor budista americano e professor diz, “Como nossas glândulas salivares, cuja função é a secreção de saliva, nossas mentes continuamente secretam pensamentos. É só o que ela faz. “Esses pensamentos podem ser triviais ou traumatizantes. Sem uma prática espiritual de algum tipo (e também com uma prática espiritual), é muito fácil de entender habitualmente que pensamentos nos levam a um caminho de auto vitimização, medo, ansiedade, e julgamento; pensamentos que nos mantêm bloqueados e presos nas histórias limitantes que criamos para nós mesmos.”

Enquanto uma sessão de ayahuasca pode provocar uma profunda experiência para alguns, que lhes permite romper completamente com certos padrões de pensamentos negativos e se livrar de traumas para o bem, para outros, a experiência pode oferecer só um alívio temporário. É por isso que o cultivo de uma prática espiritual é de suma importância. Afinal, ayahuasca nos conecta com nossos espíritos, a fonte do nosso ser que é, muitas vezes, e, infelizmente, ignorada. Sem uma prática espiritual de algum tipo, a integração das nossas experiências cerimoniais se torna mais difícil e nós torna propensos às tendências habituais de nossas mentes, que são muitas vezes destrutivas e autolimitadas.

A essência da prática espiritual é simples, mas pode facilmente levar uma vida inteira para se dominar: aprender a amar, aceitar e perdoar a si mesmo.

Conforme Jack Kornfield escreveu em seu livro, A Path with Heart: A Guide Through the Perils and Promises of Spiritual Life:

“Na verdade ouvindo nossas canções mais dolorosas, podemos aprender a arte divina do perdão. Neste, descobrimos uma verdade notável: grande parte da vida espiritual é simplesmente auto aceitação. Na verdade, ao aceitar as canções da nossa vida, as mais alegres e dolorosas, podemos começar a criar para nós uma identidade muito mais profunda e maior no qual nosso coração mantém tudo dentro de um espaço de compaixão sem limites”.

Sri Nisargadatta
Foto: Sri Nisargadatta. Via: Jitendra Arya | AcornPressOnline.com.

 

Os tipos de práticas espirituais disponíveis são numerosos, mas todos eles compartilham a simples essência da auto aceitação. Como tal, a prática espiritual é um processo muito pessoal, mas em última análise universal. A grande vantagem de trabalhar com a ayahuasca é que ela pode impulsionar um avanço neste processo de auto aceitação e perdão, permitindo que se possa progredir e superar anos de tristeza acumulada, às vezes até em uma única noite. Podem ter lugar despertares profundos do coração; despertamos de nosso sono espiritual e lembramo-nos da nobre plenitude do espírito. A conexão com o coração espiritual é o que vai integrar a auto fragmentação, separatividade criada pela mente. Como o grande sábio indiano, Sri Nisargadatta Maharaj disse: “A mente cria o abismo, mas o coração atravessa.”

Com uma prática espiritual, começamos a ver a nós mesmos, nossas experiências com a ayahuasca, e nossa relação com o mundo e tudo o que contém numa luz diferente. As pessoas com que cruzamos caminhos, os eventos, circunstâncias e experiências de nossas vidas diárias tornam-se o combustível para o nossa abertura e despertar contínuos. Através de uma prática comprometida, a pessoa começa a deixar ir a identificação patológica com a mente e seus pensamentos, permitindo que o espaço necessário para que cura surjam naturalmente no coração.

Uma das práticas espirituais mais evidentes em que se pode envolver é alguma forma de meditação.

Uma pesquisa recente mostrou que a ayahuasca melhora capacidades relacionadas com o mindfulness em usuários de longo prazo, onde a meditação mindfulness pode ser caracterizada pela permanência no estado presente, aberto e com a consciência livre de críticas. Na verdade, existem milhares de estudos científicos sobre a eficácia da atenção no tratamento de uma série de distúrbios clínicos, tais como ansiedade, depressão, dependência de drogas, distúrbios alimentares, e dor crônica.

Além de práticas baseadas em mindfulness decorrentes da tradição budista, existem vários caminhos espirituais que se pode seguir. Talvez círculos de espiritualidade nativo americanos possam ser mais verdadeiros para você. Ou uma abordagem taoísta. Talvez seja a tradição do Yoga hindu que vá fazer mais sentido, ou o xamanismo, ou uma combinação de abordagens. As possibilidades são ilimitadas; o que importa não é a estrutura espiritual escolhida, mas apenas um interesse incrível na escolha, explorar e utilizar os ensinamentos que encontramos, a fim de curar a nós mesmos e alcançar o nosso maior potencial humano. Podemos, então, tornar-nos uma inspiração para os outros.

Ayahuasca é um poderoso remédio de cura em seu próprio direito. A prática espiritual dedicada pode sustentar o equilíbrio e promover uma vida saudável. A combinação dos dois nutre um imenso potencial não só da cura profunda, mas também a expansão da consciência humana e evolução.

Entreguem-se a beleza e a sabedoria de seu espírito diariamente Deixe o amor fluir através de você sempre.

Deixo-vos com uma citação final de Jack Kornfield de A Path with Heart: A Guide Through the Perils and Promises of Spiritual Life

“É o poder do coração de encontrar qualquer circunstância difícil e transformá-la em ouro e oportunidade”. Este é o fruto da verdadeira prática. Essa liberdade e amor é o cumprimento da vida espiritual. É o verdadeiro ouro. Como Buda disse: “Assim como os grandes oceanos têm apenas um gosto, o sabor do sal, assim também, há um só sabor fundamental para todos os verdadeiros ensinamentos do caminho, e que é o sabor da liberdade.”

Via

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *