ALEMANHA TESTA O PRIMEIRO TREM DO MUNDO MOVIDO A HIDROGÊNIO

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Alemanha testa primeiro trem do mundo movido a hidrogênio

trem alemanha

O novo veículo pode ser a solução para evitar que a queima de diesel gerada pelos trens tradicionais continue a poluir o planeta.

Um ano! De acordo com a empresa francesa de trânsito Alstom, esse é o prazo necessário para que o primeiro trem de passageiros movido a hidrogênio do mundo inicie suas viagens em terras germânicas. O trem “Coradia iLint” (nome dado ao novo modelo) é uma das novas apostas dos alemães como opção de transporte sustentável para a população.

Segundo os inventores, o trem é energizado através de células de hidrogênio que ficam na parte de cima, que, por sua vez, lançam apenas vapor e água condensada. Para produzir a energia, a célula de hidrogênio é combinada com o oxigênio do local. Desta forma, o novo meio de transporte ferroviário super silencioso pode substituir num futuro bem próximo o uso dos trens tradicionais no país, que contribuem para o aquecimento global com a queima de diesel.

Em princípio, a ideia é de que o trem circule em uma pequena linha experimental, cobrindo a região noroeste do estado de baixa Saxônia. Os primeiros testes com o Coradia iLint no local estão programados para acontecer a partir outubro de 2017, com prazo de conclusão e abertura da linha para dezembro do mesmo ano.

Até lá, uma série de características do trem devem ser aprimoradas. No momento, o modelo é capaz de completar uma viagem de 800 quilômetros com um tanque de 94 quilos de hidrogênio armazenado, além de chegar a uma velocidade de 140 quilômetros por hora e transportar até 300 passageiros de uma só vez.

A Alstom confirmou que os dois modelos de trens apresentados na InnoTrans, feira do setor que acontece todos os anos em Berlim, entram em fase de testes iniciais ainda em 2016. A partir de janeiro, outras avaliações serão realizadas até que, de fato, os carros comecem a operar com a aprovação do órgão alemão responsável pelas linhas ferroviárias. [Via Pensamento Verde]

 

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *