20 Estudos médicos que mostram como a planta Cannabis tem potencial de cura para o câncer

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

20 Estudos médicos que mostram como a planta Cannabis tem potencial de cura para o câncer

maconha medicinal

Abaixo você confere uma lista de estudos científicos que demonstram como os dois principais compostos da planta Cannabis  – tetrahidrocanabinol (THC) e o canabidiol (CBD) – tem a capacidade de combater e destruir diversos tipos de células cancerígenas.

A Cannabis tem feito muito barulho nos últimos anos. Múltiplos Estados nos Estados Unidos, juntamente com muitos países ao redor do mundo, legalizaram com êxito a maconha medicinal, e o parlamento do Uruguai votou recentemente para criar o primeiro mercado legal de maconha legal.

Esta é uma boa notícia, como os benefícios para a saúde da cannabis são vastos, com múltiplos estudos médicos e científicos para confirmá-los. Mas e os efeitos nocivos? Todas as avaliações psicológicas da ingestão de cannabis são largamente baseadas em suposições, sugestões e observações (1). Quando olhamos para a ciência real por trás cannabis, parece que os efeitos negativos são difíceis de confirmar.

A Ciência por trás da Cannabis

Vamos dar uma conferida na ciência por trás da cannabis e do câncer. Embora a cannabis tenha provado ser eficaz para uma ampla gama de doenças, este artigo incidirá principalmente sobre a sua eficácia no tratamento do câncer. Canabinóides podem muito bem ser um dos melhores tratamentos de combate a doenças e câncer aí fora. Canabinóides referem-se a qualquer um de um grupo de compostos relacionados que incluem canabinol e os constituintes ativos de cannabis. Eles ativam receptores de canabinóides no corpo. O próprio corpo produz compostos chamados endocanabinóides que desempenham vários papeis em muitos processos dentro do corpo, ajudando a criar um ambiente saudável. Canabinóides também desempenham um papel na produção do sistema imunológico e na regeneração. O corpo regenera melhor quando está saturado com Fiitocanabinóides.

Canabinóides também podem ser encontrados na cannabis. É importante notar que os canabinóides são abundantes no cânhamo e na cannabis. Uma das principais diferenças entre o cânhamo e a cannabis é simplesmente que o cânhamo contém apenas 0,3% de THC enquanto a cannabis tem 0,4% de THC ou mais. (Tecnicamente ambas cepas de Cannabis Sativa.)

Canabinóides têm sido comprovadamente capazes de reduzir as células cancerosas, uma vez que têm um grande impacto sobre a reconstrução do sistema imunológico. Embora nem todas as cepas de cannabis tenham o mesmo efeito, mais e mais pacientes estão vendo sucesso na redução do câncer em um curto período de tempo usando cannabis.

Ao dar uma olhada nesses estudos, tenha em mente que a cannabis pode ser muito mais eficaz para fins medicinais quando comemos em vez de fumar. Abaixo estão 20 estudos médicos que sugerem que a cannabis pode ser um tratamento eficaz e possível cura para o câncer. Este é um bom ponto de partida para impulsionar mais ensaios clínicos humanos.

Câncer cerebral

#1) Um estudo publicado no British Journal of Cancer, realizado pelo Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da Universidade Complutense de Madri, determinou que o Tetrahidrocannabinol (THC) e outros canabinóides inibem o crescimento tumoral. Eles foram responsáveis ​​pelo primeiro estudo clínico destinado a avaliar a ação antitumoral dos canabinóides. A administração de canabinóides foi segura e foi obtida com zero efeitos psicoativos. Verificou-se que o THC diminuiu as células tumorais em dois dos nove pacientes.

#2) Um estudo publicado no The Journal of Neuroscience examinou os eventos bioquímicos tanto em danos neuronais agudos como em doenças neurodegenerativas progressivas. Eles realizaram um estudo de ressonância magnética que analisou o THC (principal composto ativo na maconha) e descobriu que ele reduziu a lesão neuronal em ratos. Os resultados deste estudo fornecem evidências de que o sistema canabinóide pode servir para proteger o cérebro contra a neurodegeneração.

#3) Um estudo publicado no Journal of Pharmacology e Experimental Therapeutics já reconheceu o fato de que os canabinóides demonstraram possuir propriedades antitumorais. Este estudo examinou o efeito do canabidiol (CBD, composto canabinóide não-psicoativo) em células de glioma humano. A adição de canabidiol levou a uma dramática queda na viabilidade das células de glioma. Glioma é a palavra usada para tumores cerebrais. O estudo concluiu que o cannabidiol foi capaz de produzir uma atividade antitumoral significativa.

#4) Um estudo publicado na revista Molecular Cancer Therapeutics descreve como tumores cerebrais são altamente resistentes aos tratamentos anticâncer atuais, o que torna crucial encontrar novas estratégias terapêuticas destinadas a melhorar o mau prognóstico dos pacientes que sofrem desta doença. Este estudo também demonstrou a reversão da atividade tumoral em Glioblastoma multiforme.

#5) Um estudo publicado na US National Library of Medicine, conduzido pelo California Pacific Medical Center, determinou que o canabidiol (CBD) inibe a proliferação e metástase de células de câncer de mama humano. Eles também demonstraram que CBD reduz significativamente a massa tumoral.

#6) Um estudo publicado no The Journal of Pharmacology e Experimental Therapeutics determinou que THC, bem como canabidiol reduziu drasticamente o crescimento de células de câncer de mama. Eles confirmaram a potência e eficácia destes compostos.

#7) Um estudo publicado na revista Molecular Cancer mostrou que o THC reduziu o crescimento tumoral e o número de tumores. Eles determinaram que os canabinóides inibem a proliferação de células cancerígenas, induzem a apoptose das células cancerígenas e prejudicam a angiogênese do tumor (todas as boas formas de ataque contra o câncer). Este estudo fornece fortes evidências para o uso de terapias baseadas em canabinóides no tratamento do câncer de mama.

#8) Um estudo publicado no Proceedings da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos da América (PNAS) determinou que os canabinóides inibem a proliferação de células de câncer de mama humano.

#9) Um estudo publicado na revista Oncogene, pelo Departamento de Medicina Experimental das Escolas Médicas de Harvard, determinou que o THC inibe a migração de células de câncer de pulmão induzida pelo fator de crescimento epitelial e muito mais. Eles afirmam que o THC deve ser explorado como novas moléculas terapêuticas no controle do crescimento e metástase de certos cânceres de pulmão.

#10) Um estudo publicado pela US National Library of Medicine pelo Instituto de Toxicologia e Farmacologia, do Departamento de Cirurgia Geral na Alemanha, determinou que os canabinóides inibem a metástase de células cancerígenas. Os efeitos foram confirmados em células de tumor primário de um doente com câncer no pulmão. Globalmente, os dados indicaram que os canabinóides diminuem a invasividade das células cancerígenas.

#11) Um estudo publicado pela US National Library of Medicine, realizado pela Harvard Medical School, investigou o papel dos receptores de canabinóides em células de câncer de pulmão. Eles determinaram a sua eficácia e sugeriram que ele deve ser usado para o tratamento contra as células de câncer de pulmão.

#12) Um estudo publicado na US National Library of Medicine mostra uma diminuição das células de câncer de próstata agindo através de receptores de canabinóides.

#13) Um estudo publicado na US National Library of Medicine delineou vários estudos provando a eficácia da cannabis sobre o câncer de próstata.

#14) Outro estudo publicado pela US National Library of Medicine determinou que os testes clínicos do CBD contra o carcinoma da próstata é um dever. Que a ativação do receptor canabinóide induz a apoptose das células do carcinoma da próstata. Eles determinaram que o cannabidiol inibiu significativamente a viabilidade celular.

Câncer no sangue

#15) Um estudo publicado na revista Molecular Pharmacology mostrou recentemente que os canabinóides induzem inibição do crescimento e apoptose no linfoma de células manto. O estudo foi apoiado por subvenções da Sociedade Sueca de Câncer, o Conselho Sueco de Pesquisa e da Sociedade do Câncer, em Estocolmo.

#16) Um estudo publicado no International Journal of Cancer também determinou e ilustrou que os canabinóides exercem efeitos antiproliferativos e proapoptóticos em vários tipos de câncer e no linfoma de células manto.

#17) Um estudo publicado na US National Library of Medicine conduzido pelo Departamento de Farmacologia e Toxicologia pela Virginia Commonwealth University determinou que os canabinóides induzem apoptose em células de leucemia.

Câncer Oral

#18) Um estudo publicado pela US National Library of Medicine mostra que os canabinóides são potentes inibidores da respiração celular e são tóxicos para tumores orais altamente malignos.

Câncer de fígado

#19) Um estudo publicado pela US National Library of Medicine determinou que o THC reduz a viabilidade de linhas de células HCC humanas (linha de células de carcinoma de fígado hepatocelular humano) e reduziu o seu crescimento.

Câncer de pâncreas

#20) Um estudo publicado no The American Journal of Cancer determinou que os receptores de canabinóides são expressos em linhas de células tumorais pancreáticas humanas e biópsias de tumor a níveis muito mais elevados do que no tecido pancreático normal. Os resultados mostraram que a administração de canabinóides induziu apoptose. Eles também reduziram o crescimento de células tumorais e inibiram a propagação de células tumorais pancreáticas.

Conclusões finais

A cannabis é um grande exemplo de como a mente humana pode ser condicionada a acreditar em algo, mesmo quando confrontada com evidências contraditórias posteriormente. Crescemos com todos dizendo-nos “drogas” são ruins, o que é muito verdadeiro, no entanto, nem todas as substâncias que foram rotuladas como “drogas” pelos diferentes órgãos de autoridade são prejudiciais. É possível que as substâncias sejam rotuladas como uma “droga”, a fim de proteger os interesses das empresas. Um exemplo é a indústria automobilística e energética; Um carro feito de cânhamo é mais forte do que o aço, e pode ser alimentado a partir de cânhamo sozinho. Henry Ford demonstrou isso há muitos anos. O Cânhamo realmente tem mais de 50.000 usos!

Fontes:

Todas as fontes estão destacadas ao longo do artigo. Clique nas partes destacadas do artigo para visualizá-las.

1)http://bjp.rcpsych.org/content/178/2/116.full

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

One thought on “20 Estudos médicos que mostram como a planta Cannabis tem potencial de cura para o câncer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *