BIOCENTRISMO E CONSCIÊNCIA APÓS A MORTE

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

ROBERT LANZA, BIOCENTRISMO E CONSCIÊNCIA APÓS A MORTE

BIOCENTRISMO LANZA BROTANDO CONSCIÊNCIADe acordo com Robert Lanza a vida e a biologia criaram o universo e não o oposto. Recentemente a teoria do Biocentrismo e a existência de consciência após a morte divulgada pelo cientista quântico tem levantado questões a respeito da morte, da consciência e do universo como os conceituamos. O cientista lançou um livro com título traduzido para português –  Biocentrismo: como a vida e a consciência são as chaves para compreender a natureza do universo – no qual expõe que o conceito de morte, tempo e espaço podem ser interpretados como não existentes de fato. Baseado em experimentos de física quântica e seguindo teorias como a de existência de multi-universos Robert Lanza diz que a consciência não deixa de existir com a morte do corpo físico, ela se dissipa em outros universos existentes, podendo existir então uma vida após a morte deste corpo. Assim como uma tv recebe sinais via satélite, seria este corpo recebendo a consciência, então ela não deixaria de existir com a exclusão do meio físico. Apesar de não explicar a existência da consciência em si ele afirma que segundo experimentoS da mecânica quântica as nossas observações provocariam algum efeito no mundo atômico ao nosso redor.

A TEORIA DO BIOCENTRISMO

O Biocentrismo deriva de palavras gregas para o “centro da vida” e baseia-se na ideia que a vida e a biologia são fundamentais para o universo. É a vida que cria o universo material, não o contrário. Para explicar essa teoria Lanza usa um exemplo de como nossa percepção do mundo é alterada. Segundo o cientista uma pessoa vê o céu e é lhe dito que a cor que está vendo é azul, mas as células do cérebro humano podem ser modificadas e criarem a percepção de que o céu é verde ou vermelho. Nesta linha de pensamento ele defende que a nossa consciência interpreta o mundo e pode ser alterada para modificar esta interpretação. Ele ainda afirma que a vida não cria o universo na mesma linearidade que colocamos as nossas interpretações e que o espaço e o tempo não são objetos ou coisas, mas sim ferramentas utilizadas na nossa compreensão animal pela nossa mente. A seguir deixo a lista dos Sete Princípios nos quais a teoria do Biocentrismo se baseia do site Pensar Além

OS SETE PRINCÍPIOS

A teoria do Biocentrismo se baseia em 7 princípios:

1. O espaço e o tempo não são realidades absolutas, portanto, a realidade “externa” seria um processo de percepção e de criação da consciência.

2. As nossas percepções externas e internas estão ligadas, de forma profunda, não podendo se divorciar uma da outra.

3. O comportamento das partículas subatômicas está ligado com a presença de um observador consciente. Sem esta presença, as partículas existem, no melhor dos casos, em um estado indeterminado de probabilidade de onda.

4.  Sem consciência a matéria permanece em um estado indeterminado de probabilidade. A consciência precede o universo.

5. A vida cria o universo, e não o contrário, como estabelecido pela ciência tradicional.

6. O tempo não tem real existência fora da percepção humana.

7. O espaço, assim como o tempo, não é um objeto. O espaço é uma forma de compreensão e não existe por conta própria.

É Ciência também é isto pessoal, pensar e repensar ideias, romper paradigmas e seguir questionando e observando de perto sua própria visão de mundo.

  • Será possível a consciência permanecer no universo além da morte do corpo físico?
  • Caro, leitor (a) esse espaço foi construído para compartilharmos com você as ideias! Participe! Comente!

Veja textos que inspiraram a criação deste, em inglês aqui

em português: aqui 

FONTE e IMAGEM: Spirits Science and Metaphysics

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

One thought on “BIOCENTRISMO E CONSCIÊNCIA APÓS A MORTE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *